O Museu Histórico e Geográfico de Poços de Caldas inaugura, neste mês de maio, a Exposição Permanente da Estação da Mogyana no piso térreo do prédio. Agora, o local passa a contar com diversos objetos que retratam o período de funcionamento da estação em Poços, contando um pouco sobre o seu desenvolvimento e importância para a cidade. Quando o Museu estiver novamente aberto para visitação, será possível conferir no espaço todas as fotos do acervo da instituição referentes ao trem e à linha férrea.

O local conta com peças importantes como os staffs operacionais e telégrafos utilizados na comunicação de estações, além de um uniforme que era utilizado pelos trabalhadores ferroviários, quepes e muitas peças de manutenção dos trens e dos trilhos, além de objetos que eram utilizados para alavancar o turismo com o funcionamento do trem em Poços de Caldas.

É importante lembrar que a ideia da construção de um espaço permanente de exposição da Mogyana no Museu teve início a partir da doação dos staffs, telégrafos e vários objetos pelo senhor Antônio Carlos Torres, que trabalhou por muitos anos na estação e havia guardado esse material como uma forma de preservar um pouco da sua história e dos que ali trabalharam durante décadas.

O projeto começou a ser mobilizado em novembro de 2018, passando por um longo período de pesquisa por peças relacionadas ao trem na própria Reserva Técnica do Museu, bem como arrecadando doações de pessoas apaixonadas pela Mogyana na cidade.

Depois, veio o trabalho de encontrar fotos relacionadas e toda a catalogação do material doado. Posteriormente, com a aprovação do prefeito Sérgio Azevedo, foi viabilizada a construção da vitrine e das estantes para a colocação do acervo, especialmente de objetos menores que precisam de proteção.

Uma curadoria foi criada no Museu para planejar a forma e quais objetos ficariam expostos, estudando a colocação dos materiais que retratem, da melhor forma, a importância da Mogyana para Poços. A curadoria contou com a coordenação da estagiária em História, Jennifer Diniz Anunciação e com o trabalho do servidor Abel Barzagli.

“Diversos setores da administração pública foram imprescindíveis para a viabilização do projeto, como a Divisão de Patrimônio da Secretaria de Planejamento, Secretaria de Obras, responsável pelo transporte das peças pesadas para o prédio do Museu, a sensibilidade do prefeito Sérgio Azevedo que não mediu esforços para viabilizar a iniciativa, todo o apoio logístico e administrativo da Secretaria de Cultura, bem como a disposição e esforços do servidor Abel Barzagli em fazer tudo da melhor maneira possível e os trabalhos dentro da História e também de artes gráficas da estagiária Jennifer Diniz Anunciação. O resultado mostra a integração entre os diversos setores dentro da Prefeitura e o empenho de todos para que a memória de algo tão importante como a Estação Mogyana possa se manter viva e, mais, possa ser repassada para outras gerações”, destaca o coordenador do Museu Histórico e Geográfico, Thiago Quinteiro.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here