O transporte público municipal tem sido constantemente debatido na Câmara dos Vereadores de Poços. Na sessão ordinária da última terça-feira (23), voltou a ser assunto através de requerimento apresentado pelo vereador Marcelo Heitor (PSC). Em seu pedido de informações, o parlamentar questiona as providências que serão tomadas para sanar a aglomeração no transporte coletivo, especialmente durante o horário de pico.

Segundo vereador, vários usuários relataram que, mesmo com as recomendações de distanciamento social devido à pandemia de Covid-19, tem ocorrido muita aglomeração dentro dos ônibus do transporte coletivo, principalmente nos horários de pico.

Ainda de acordo com o vereador, a medida tomada pela concessionária de transporte coletivo municipal, de reduzir linhas e horários de ônibus durante a pandemia, acabou gerando ainda mais aglomerações, já que são poucos ônibus, para muitos usuários, que ainda precisam utilizar o transporte coletivo diariamente.

Com a situação preocupante para os cidadãos, o parlamentar questiona quais providências o prefeito adotará para sanar as aglomerações do transporte coletivo municipal no horário de pico. Pergunta ainda se algum estudo está sendo feito pelo Comitê Extraordinário da Covid-19 para restabelecer os horários normais do transporte coletivo, principalmente durante o horário de maior movimento e se a concessionária responsável apresentou alguma solução para resolver o problema.

“A população tem reclamado sobre a quantidade de pessoas nos ônibus, principalmente no horário de pico, e aí nós termos duas situações: uma em que os horários dos ônibus foram reduzidos e a segunda é que estamos em um momento de grande preocupação em relação ao isolamento social e temos observado uma dificuldade por parte da concessionária e, consequente, por parte do poder público, na prestação desse serviço de maneira adequada. Então, esse pedido de informação tem o objetivo justamente de fiscalizar, perguntar sobre o que pode ser feito, porque eu entendo que é um tema importante, delicado, principalmente no momento em que estamos vivendo. No meu entender, quando você reduz a quantidade de ônibus, automaticamente você está obrigando que mais pessoas utilizem o transporte público no mesmo horário, o que gera tumulto e preocupação por parte da população, por parte dos órgãos de saúde e por nós também. A empresa concessionária tem uma obrigação contratual e também social com nossa cidade e nós não podemos deixar de cobrar para que esse sistema possa ser regularizado e ofereça um atendimento eficiente, principalmente nesse momento de pandemia”, finaliza Marcelo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here